295 rinocerontes mortos este ano no Parque Transfronteiriço do Limpopo

295 rinocerontes mortos este ano no Parque Transfronteiriço do Limpopo

A Administração Nacional de Áreas Conservação (ANAC) revelam que o Parque Transfronteiriço do Limpopo registaram o abate de 295 rinocerontes, desde o início do presente ano, sendo 28% das incursões provenientes do territórios moçambicano, reporta a AIM.

Durante o mesmo período, 95 caçadores furtivos,  dos quais 7 moçambicanos, foram detidos. 72 armas, das quais cinco das mãos de moçambicanos e cerca de 70 confrontações armadas entre os caçadores furtivos e autoridades policiais nacionais, fiscais  e autoridades sul-africanas.

O relatório revela que em 2016 foram perdidos 667 rinocerontes, bem como 92 elefantes, tendo sido detidos  363 caçadores furtivos, dos quais 184 nacionais.

“Os indicadores de tendência são preocupantes porque ainda não estabilizamos as perdas, o que quer dizer que temos uma curva ascendente”, disse o director de Protecção e Fiscalização da Administração Nacional de Áreas Conservação (ANAC), Carlos Pereira.

Pereira revelou Moçambique ocupa lugares cimeiros em África no que toca à caça furtiva, sendo as principais causas a “procura dos produtos em países asiáticos, o consumo descontrolado da carne de caça, a pobreza rural e a procura urbana dos produtos de origem animal (fauna), constituem factores que minam a protecção e conservação das espécies”, refere a publicação.
O desempenho das entidades controladoras dos da fauna bravia não estão, de acordo com Perreira, a ter um desempenho satisfatório.