43 manifestantes anti‐governo condenados à prisão perpétua no Egipto

43 manifestantes anti‐governo condenados à prisão perpétua no Egipto

Um tribunal criminal egípcio condenou 43 activistas à prisão perpétua na terça-feira (25, em um novo julgamento de manifestantes anti-governo que entraram em confronto com as autoridades no final de 2011.

Os ensaios em massa foram comuns desde que o exército depôs o presidente da Irmandade Muçulmana, Mohamed Mursi, em 2013, após manifestações nacionais contra o seu governo. Os grupos de direitos locais e internacionais repetidamente expressaram críticas.

Os 43 acusados haviam sido acusados de tumultos, vandalismo e ataques às forças de segurança durante os confrontos com a polícia e o exército no Cairo, em Dezembro de 2011, em que pelo menos 17 pessoas foram mortas e quase 2 mil foram feridas.

Os réus também foram multados em mais de 900 mil dólares combinados por vandalizarem propriedades públicas durante os confrontos.

Nove outros foram sentenciados a 10 anos de prisão e um a cinco anos, enquanto 92 foram absolvidos, no caso que foi denunciado pelos « conflitos no gabinete » da mídia local, uma referência ao gabinete onde ocorreu a agitação.

(1126 Posts)