Nyusi quer equilíbrio na atribuição de bolsas de estudo

Nyusi quer equilíbrio na atribuição de bolsas de estudo

O Presidente da República, Filipe Nyusi, contesta a clareza na atribuição de bolsas de estudos aos estudantes do Ensino Superior no país, escreve a AIM.

Nyusi aponta para a questão da unidade da unidade nacional, sendo que exige a observação das áreas relevantes que, a médio e longo prazos, poderão contribuir de forma significativa para o desenvolvimento do país, o caso da medicina, agricultura e turismo.

Na visita efectuada Instituto de Bolsas de Estudo, tutelado pelo Ministério da Ciência e Tecnologias, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP), o chefe do Estado revelou que presenciara casos em que “mais de 80 por cento dos estudantes bolseiros são da mesma escola, facto que é agravado por serem áreas que não constituem maior interesse que promova avanços para o país”.

“Não pensem que isso cria tribalismo. Não é este o assunto que queremos resolver porque as pessoas nascem onde nascem e podem crescer em outros locais. Por isso, as bolsas devem ser programadas não devem ser atribuídas aleatoriamente porque têm custos e ainda formam áreas que não nos interessam”, referiu Nyusi.