« O problema de África são 7 ou 8 filhos por mulher » ‐ presidenta da França

emmanuel macron africa

O presidente francês Emmanuel Macron está em volta a uma polémica após declarações fortes sobre o estilo de vida dos casais africanos.

De acordo com um vídeo recentemente publicado, no qual Macron respondia a perguntas da imprensa na cimeira G20, realizada nos dias 7 e 8 de Julho passados, o mesmo referiu que o grande entrave para o desenvolvimento de África era a elevada taxa de natalidade, desproporcional às condições do continente.

 “Quando os países ainda têm sete a oito filhos por mulher, você pode decidir gastar bilhões de euros, mas não vai estabilizar nada”, alegou Macron.

Os pronunciamentos geraram logo revolta no seio da opinião pública africana e não só.

Nas redes sociais, muitos criticam Macron por apontar à natalidade e não à companhias multinacionais estrangeiras (muitas delas francesas) que « exploram despudoradamente os recursos do continente ».

“Aparentemente, o saque de recursos pelas empresas ocidentais não faz parte dos problemas da África. É culpa de 7-8 crianças por mulher”, disse um internauta francês, indignado no Twitter.

“Sete e oito crianças por mulher não são um problema de civilização… É 2017 e a França ainda compartilha opiniões colonialistas e racistas em relação à África. Algumas coisas nunca mudam”, disse outro internatua também francês.

Muitas opiniões africanas convergem ao tomar o discurso de Emmanuel Macron como « racista », antevendo‐se um cenário de críticas vindas das lideranças africanas.

(1126 Posts)