ONU termina missão de 13 anos na Costa do Marfim

ONU Costa Marfim

A Organização das Nações Unidas (ONU) terminaram oficialmente no passado dia 30 de Junho de 2017 a sua missão de manutenção da paz na Costa do Marfim, ao cabo de 13 anos naquele país da África Ocidental.

A Operação das Nações Unidas na Costa do Marfim (UNOCI) foi criada em 2004 sob a resolução, tendo como principal missão foi monitorar e apoiar um acordo de paz assinado pelas partes que na altura confrotavam‐se militaramente.

Durante os 13 anos de missão a ONU perdeu cerca de 150 capacetes azuis que integravam as forças de paz.

Em 2004, a Costa do Marfim havia sido dividida por uma guerra civil, com o sul ficando para o governo e o norte para os rebeldes.

Durante a crise pós-eleitoral que se seguiu às eleições presidenciais de 2010, cerca de 3.000 cidadãos foram mortos, com cerca de 300 mil refugiados.

O que a missão da ONU fez durante a sua estadia de 13 anos?

No seu anúncio de término de missão, a ONU não deixou de destacar dados que demostram o sucesso das suas actividades naquele país.

Outras realizações específicas da missão incluíram o seguinte:

‐ Desarmou 70 mil combatentes e reintegrou-os na sociedade.

‐ Ajudou o retorno de um total de 250 mil refugiados em 2016.

‐ A UNOCI apoiou os esforços de coesão social, diminuindo a taxa de interconexão em 80%.

‐ Eles apoiaram a organização das eleições presidenciais de 2011 e 2016, bem como um referendo constitucional realizado no ano passado.

‐ Eles ajudaram a fortalecer o órgão de direitos humanos do país e, como resultado, ajudaram a diminuir as violações dos direitos. A figura de 2011 de mais de 1.720 foi reduzida para 88 em relação ao ano passado de acordo com as estatísticas disponíveis.

(1126 Posts)