A razão de os norte‐coreanos quererem atacar a Ilha de Guam

A razão de os norte‐coreanos quererem atacar a Ilha de Guam

A ameaça do presidente Trump de atacar a Coréia do Norte com “fogo e fúria” levou Pyongyang a anunciar que “está a examinar cuidadosamente” um plano para atacar com mísseis a Ilha de Guam um importante protectorado americano, aonde possuem uma base militar naval que cobre 30% do território da mesma.

Desde que se tornou um território americano em 1898, a ilha de 162 mil habitantes foi considerado um recurso vital por Washington. Encontra-se no Pacífico leste das Filipinas e cerca de 1.700 milhas ao sul da Coréia do Norte.

Sua proximidade com a China, o Japão e a Península da Coreia dotam os EUA de uma plataforma de lançamento para a Ásia e, como tal, foi construída em uma fortaleza militar.

Com base nas estações anuais, os cerca de 6.000 soldados dos EUA, bem como o turismo, são extremamente importantes para a economia de Guam.

Em 2013, um sistema de Defesa de Área de Alta Altitude (THAAD) do Exército dos EUA foi implantado na ilha – dando a Washington o poder de derrubar mísseis balísticos norte-coreanos.

Entretanto, reina o medo depois que se viram no meio de uma guerra de palavras entre Washington e Pyongyang.