Restrições na importação de aves e derivados vai causar escalada de preços

gripe aviaria

Com a restrição por partes das autoridades moçambicanas da entrada para o mercado nacional de produtos avícolas (ovos e pintos) vindos de países vizinhos, maioritariamente da vizinha África do Sul, poderá ter um efeito negativo no bolso dos cidadãos, com a subida de preços.

A gripe aviária detectada em uma farma sul‐africana na província vizinha de Mpumalanga, fez com que as autoridades moçambicanas tomassem medidas cautelares, o que irá resultar na diminuição dos produtos no mercado nacional.

« Na entrada para o país, todo o cidadão que leva consigo um derivado de frango ou qualquer outro tipo de carnes deve exibir a licença de importação e o respectivo certificado, passado pelas autoridades sul-africanas », disse o director nacional de Veterinária, Américo da Conceição.

As províncias do sul do país deverão ser as mais afectadas pelos efeitos da restrição, já que dependem em grande da África do Sul para abastecer os seus mercados em produtos avícolas e derivados.

De acordo com secretário executivo da Associação Moçambicana de Avicultores, Loko Roger, citado pela AIM, o norte e centro do país « produzem localmente os ovos férteis e pintos, daí que a eclosão da gripe não terá nenhum impacto », apesar no caso do centro existir a ameaça da gripe no vizinho Zimbábwe.

Em Moçambique são produzidos localmente mais de 70 mil toneladas anuais de carne de frango, contra as 80 mil  necessárias.

(1126 Posts)