Zimbábwe deve mais de 500 milhões à EDM mas continua a receber energia

Zimbábwe deve mais de 500 milhões à EDM mas continua a receber energia

Depois de virem à tona dados sobre a gigantesca dívidas zambiana relativa ao fornecimento de energia de eléctrica pela empresa moçambicana Electricidade de Moçambique, eis que o jornal AV revela outras informações surpreendentes sobre as descomunais dívidas dos países para com esta companhia estatal que se encontra em crise.

Se para a Zâmbia, a EDM acabou por cortar o fornecimento de energia, com a dívida a atingir os 6 biliões de meticais, o Zimbábwe parece continuar dentro dos limites de tolerância da empresa, sendo que até  término do ano 2015 devia mais de 600 milhões de meticais.

Os dados, retirados de um relatório de contas da EDM, do qual o AV teve acesso, indicam ainda que a dívida da companhia de electricidade zimbabweana ZESA (Zimbabwe Electricity Supply Authority) cresceu em mais de 50% entre 2015 e 2016,  mas “ainda assim a EDM não equaciona o corte de energia ao país vizinho”.

A publicação refere que as tentativas de resolver o problema com a parte zimbabweana não foram além de pequenos pagamentos.

“Como alternativa, a comissão esta a avaliar a possibilidade da ZESA – ZTDC fazer o pagamento do remanescente em espécie, isto é, equipamentos eléctricos com destaque para transformadores de distribuição de energia, visto que a EDM ter neste momento, carência deste tipo de equipamento, e a ZESA holding, ter no grupo uma fabrica dos mesmos”, revelou o director de Economia e Finanças da EDM, Getá Remígio Manuel Pery.

Pery acrescenta que não está, por enquanto, nos planos da empresa proceder com alguma acção de corte do fornecimento de energia ao país vizinho.