Detida em 25% por Guebuza, Tata Moçambique ganha concurso público milionário de fornecimento de autocarros

Detida em 25% por Guebuza, Tata Moçambique ganha concurso público milionário de fornecimento de autocarros

A Tata de Moçambique, representante local da fabricante indiana de automóveis Tata, que segundo o Mediafax é detida em 25% pelo ex-PR Armando Guebuza, ganhou um concurso público no valor de 27,6 milhões de dólares (cerca de 460 milhões de meticais) para o fornecimento de 100 autocarros destinados ao sistema de transporte público do país.

A publicação refere, baseada em documentos da empresa datados de Maio de 2016, que a Tata de Moçambique é detida em 65% pela Tata Holding (a companhia indiana), 25% por Armando Guebuza e 10% pela moçambicana Mbatine Investimentos.

O modelo exacto dos autocarros a serem fornecidos não é especificado, mas com base nos preços dos aparelhos expostos na página web da Tata Motors, “o novo modelo custa 2,1 milhões de rupias indianas ou 2,2 milhões de meticais (35.889 usd) cada, muito abaixo dos 17 milhões de meticais (277.325 usd) que a Tata Moçambique está a cobrar ao governo moçambicano por cada unidade”.

O Mediafaxm, que cita ainda a Zitamar News, refere que a TATA surgiu como o fornecedor mais barato no concurso público, abaixo da SIR Motors (28,7 milhões) e o grupo Salvador Caetano (30,3 milhões). O referido concurso foi levado a cabo pelo Fundo de Desenvolvimento de Transportes e Comunicações.

Ainda na publicação, lê-se que “A Tata de Moçambique providenciou o governo moçambicano com 150 autocarros movidos a gás em 2011, causando polémica não só por causa da participação da Guebuza na empresa, mas também porque a empresa não garante peças sobressalentes, resultando em muitos carros fora de acção logo após começarem a operar”.

(2027 Posts)