Firma poderá receber até 70 milhões USD se localizar destroços do MH370

Firma poderá receber até 70 milhões USD se localizar destroços do MH370

O governo da Malásia assinou um acordo com uma empresa americana na quarta-feira (10) para retomar a busca pelo avião comercial MH370 quase quatro anos após o desaparecimento do mesmo, com a companhia receber até 70 milhões de dólares se tiver sucesso.

De acordo com o News24, a nova busca, que vai durar 90 dias, deverá começar em meados de ainda neste Janeiro, quando uma embarcação de alta tecnologia chegar a uma nova zona de busca no sul do Oceano Índico.

O avião da Malásia Airlines desapareceu em Março de 2014, com 239 pessoas – principalmente da China – que voavam de Kuala Lumpur para Pequim, desencadeando um dos maiores mistérios de história da aviação mundial.

Nenhum sinal do avião foi encontrado numa área de pesquisa de 120 mil quilómetros quadrados selecionada por satélite, tendo em conta a provável trajectória do aparelho.

A pesquisa marítima liderada pela Austrália, a maior da história da aviação, foi suspensa em Janeiro do ano passado.

O navio que irá realizar a caça é um navio de pesquisa norueguês chamado Seabed  Constructor, que transporta  65 membros da tripulação e partiu da África do Sul no início de Janeiro para a zona de busca.

O mesmo está carregando oito drones autônomos, equipados com sonares e câmeras, que exploram as águas na caça dos destroços e podem operar em profundidades até 6 mil metros.

Apenas três fragmentos confirmados de MH370 foram encontrados, todos eles nas margens ocidentais do Oceano Índico, incluindo uma parte da asa de dois metros conhecida como flaperon. Uma das partes foi encontrada na costa de Inhambane, Moçambique.

(2270 Posts)