Pessoas famosas por coisas que não fizeram

Todo mundo tem aquela curiosidade por saber quem foi génio, que inventou algo, que é muito importante para nós. Seja a luz, o carro, o avião e por aí vai. Histórias dos grandes inventores foram transmitidas, de geração a geração, durante os anos. As pessoas são fascinadas por uma boa história, ainda mais aquelas que contam com pessoas brilhantes que, de alguma forma, mudaram a nossa vida.

Seja descobrindo algo totalmente novo, como uma nova parte do mundo, ou inventando uma nova tecnologia. E, até mesmo, fazendo uma importante declaração rebelde, diante de uma injustiça. Essas pessoas mudaram o mundo de alguma forma, ou, pelo menos, acreditamos nisso. Porque, se for procurar bem profundamente, muitas dessas histórias inspiradoras não aconteceram exactamente como nos foram contadas. Nem sempre quem recebeu os méritos por alguma invenção muito boa, foi quem realmente a tornou realidade. Confira a seguir, 7 pessoas que ficaram famosas por coisas que elas não fizeram.

1 – Pitágoras não descobriu o teorema de Pitágoras

Qualquer pessoa, que já tenha feito pelo menos uma aula de geometria, tem o Teorema de Pitágoras inserido na sua memória. Essa, que é uma ferramenta muito útil na construção civil, não foi realmente descoberta pelo filósofo a qual foi nomeado. De facto, Pitágoras foi um matemático grego, com diversas contribuições, para o campo da matemática, mas esse teorema não é uma delas. Uma tábua de argila, datada do período da Babilónia Antiga, provou que os babilónicos já conheciam a relação matemática que é o fundamento do famoso teorema. Essa tábua foi confeccionada mais de mil anos antes de Pitágoras nascer, ou seja, alguém já conhecia esse teorema antes dele.

2 – Michael Jackson não inventou o Moonwalk

Durante uma performance, ao vivo, do seu hit “Billie Jean”, em 1983, o Rei do Pop, Michael Jackson fez, pela primeira vez, aquilo que se tornaria o seu movimento mais marcante: o passeio da lua. Desde aquele dia, o Moonwalk passou a ser associado a Michael Jackson para sempre. Porém, embora obviamente ele tenha tornado o passo famoso, não foi ele quem o inventou. O passo já era usado por outros dançarinos, muitos anos antes. Originalmente conhecido como backslide, o passo já tinha sido usado pelo bailarino Bill Bailey, na década de 1950.

3 – Thomas Edison não inventou a lâmpada

Não restam dúvidas de que Thomas Edison seja um grande inventor e que tenha contribuído significativamente com a humanidade. Mas, uma das principais invenções, associadas a ele, não foi realmente uma descoberta do ilustre homem. A lâmpada já tinha sido criada muito antes dele sequer pensar em criar algo que trouxesse luz. Em 1800, o inventor italiano, Alessandro Volta, desenvolveu uma pilha, que conduzia electricidade por um fio de cobre que começava a brilhar. Dois anos depois, em 1802, Humphry Davvy descobriu uma forma de conectar pilhas voltaicas e eléctrodos de carvão, e assim, produziu a primeira lâmpada eléctrica.

Algumas décadas depois, em 1840, Warren de la Rue criou uma lâmpada mais duradoura, porém, com um custo muito alto. Só em 1879 é que Edison finalmente começou a trabalhar na criação de uma lâmpada mais eficiente e económica. E, de facto, a lâmpada criada por ele foi a melhor entre todas as outras, mas não foi a primeira a existir e muito menos uma ideia original sua.

4 – Cristóvão Colombo não descobriu que a Terra era redonda

Até os dias de hoje, muita gente ainda acredita que Cristóvão Colombo navegou bravamente para o oeste, em uma longa jornada, para provar que a Terra era redonda e não um plano finito. Porém, isso não passa de uma crença errónea. De facto, Colombo partiu em uma longa viagem, em 1490, com esse propósito. Mas as pessoas já sabiam que a Terra era redonda desde 600 a.C. Isso, graças a Aristóteles e outros cientistas da época, que foram desacreditados de suas afirmações ultrajantes para a época.

5 – Júlio César nunca foi o imperador de Roma

Caio Júlio César, conhecido apenas como Júlio César, foi um importante nome da República Romana. Ele foi muitas coisas em sua vida, lutou várias guerras, se envolveu na política, se tornou ditador do Império Romano, foi general e mestre. Mas, embora ele seja sempre creditado como o primeiro imperador romano, esse é um título do que Júlio César nunca conquistou. Ele nunca foi o imperador de Roma. Mas isso não desmerece todas as suas conquistas e títulos.

6 – Hamlet não era uma ideia original de William Shakespeare

Hamlet é, sem sombra de dúvidas, uma das obras mais famosas e aclamada de William Shakespeare. O que pode surpreender um pouco é o facto de que ele não inventou, completamente, essa trágica história. Hamlet foi directamente influenciado por uma lenda nórdica, escrita pelo historiador dinamarquês, Saxo Grammaticus. Para começar, até o nome do protagonista da lenda, Amleth, é um anagrama para Hamlet. Em ambas as histórias, existem vários pontos semelhantes, assim como o final. Embora na história de Shakespeare o protagonista morra no final, na história original, não. As várias semelhanças, entre as histórias, não poderiam ser apenas uma coincidência.

7 – Joseph-Ignace Guillotin não inventou a guilhotina

Em 1789, a França contava com decapitações mais sangrentas possíveis. Então, o médico francês Joseph-Ignace Guillotin, que era um forte oponente da pena de morte, na Assembléia Francesa, que era considerado um método mais humano e menos doloroso de matar. Essa sugestão foi aceita pelo cirurgião Antoine Louis, que projetou a primeira máquina de matar. Então, o alemão Tobias Schmidt produziu o primeiro protótipo dessa máquina. A guilhotina não teve nenhuma participação, nem projeto nem construção de instrumento. Mas, por fim, essa máquina ficou conhecida como guilhotina, por causa do seu sobrenome.

Fatos Desconhecidos

(2234 Posts)