PRM desconhece ataque à Junta Militar da Renamo

O comandante-geral da Polícia da República de Moçambique (PRM) disse, segunda-feira, desconecte qualquer ataque das forças de defesa e segurança autoproclamadas Junta Militar da Renamo e assegurou que o governo não exerce nenhuma ação contra o grupo.

“Se foi atacada ou não, não sabemos. É tarefa da Polícia perseguir assassinos, não a Junta. A Junta tem a ver com a Renamo e a Renamo vai resolver”, afirmou Bernardino Rafael, em declarações a jornalistas.

Na sexta-feira passada, o líder da autoproclamada Junta Militar da Renamo, Mariano Nhongo, disse que alguns dos seus homens foram atacados na sua base, em Chipindaumwe, distrito de Gondola.

“Os meus homens foram atacados na base e responderam”, afirmou Mariano Nhongo, adiantando que o confronto durou até ao princípio da tarde, numa mata distante da povoação.

Nhongo atribuiu o ataque às forças de defesa e segurança. Questionado sobre o assunto, o comandante-geral da PRM afirmou desconhecer o ataque, mas assegurou que as forças não pretendem empreender nenhuma investida contra a Junta, porque a criação do grupo é um assunto interno do principal partido da oposição.

(2234 Posts)