Famosos: Morreu Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones

(FILES) In this file photo taken on November 15, 2016 (L-R) Ronnie Wood, Keith Richards, Mick Jagger, and Charlie Watts of The Rolling Stones attend The Rolling Stones North American debut celebration of "Exhibitionism" at Industria in the West Village in New York City. - Charlie Watts, drummer with legendary British rock'n'roll band the Rolling Stones, died on August 24, 2021 aged 80, according to a statement from his publicist. (Photo by ANGELA WEISS / AFP)

“É com imensa tristeza que anunciamos a morte do nosso amado Charlie Watts. Morreu pacificamente num hospital de Londres, hoje cedo, rodeado pela família”, disse o agente Bernard Doherty numa declaração enviada aos jornalistas.

“O Charlie era um marido adorado, pai e avô e também, enquanto membro dos Rolling Stones, um dos grandes bateristas da sua geração”, acrescentou Doherty. “Pedimos respeito à intimidade da família, dos membros da banda e dos amigos próximos neste momento difícil”.

A banda tinha anunciado, no começo deste mês, que Watts não iria participar na digressão norte-americana, por estar a recuperar de um procedimento médico, sendo substituído pelo músico Steve Jordan.

O baterista, que completou 80 anos em junho, estava com os Stones desde 1963. Juntamente com o cantor Mick Jagger e o guitarrista Keith Richards, Charlie Watts era um dos membros mais antigos da banda de rock, na qual também participaram Mick Taylor, Ronnie Wood e Bill Wyman.

Watts era conhecido como o homem tranquilo de uma banda desordeira e que ajudou a definir os “Swinging Sixties” com êxitos intemporais como “Jumpin’ Jack Flash” e “(I Can’t Get No) Satisfaction”. A estabilidade fora do palco refletia-se na seu ritmo em placo, contrabalançando a energia e carisma do cantor Mick Jagger e dos guitarristas Keith Richards e Ronnie Wood.

Em 2004, Watts foi tratado no Hospital Royal Marsden, em Londres, a um cancro na garganta, do qual recuperou após uma luta de quatro meses contra a doença, incluindo seis semanas de radioterapia intensiva.

Nas redes sociais, começam a surgir algumas reações à morte de Watts, com Elton John a apelidá-lo de “o derradeiro baterista”, escreveu no Facebook. “O mais estiloso dos homens e uma companhia brilhante. As minhas mais profundas condolências à Shirley, Seraphina e Charlotte (viúva, filha e neta de Watts) e, claro, aos Rolling Stones”.

“RIP Charlie Watts, um dos maiores bateristas de rock de sempre e um verdadeiro cavalheiro”, escreveu o canadiano Bryan Adams no Twitter.

Paul McCartney enviou “muito amor à família” e condolências aos Stones para quem “Charlie era uma rocha”, Joan Jett lembrou-o como “o mais elegante e digno baterista no rock”.

O músico Perry Farrell, de Jane’s Addiction, escreveu, no Twitter, que um baterista é “o segredo de uma banda: não há grandeza sem um grande baterista”.

John Fogerty, dos Creedence Clearwater Revival, recordou Watts como “um dos grandes bateristas, cuja falta será sentida”, enquanto o ator e ex-membro dos Monty Python Eric Idle o classificou como um “homem generoso e gentil”.

leave a reply