Internacional/Moçambique: Dezenas de insurrectos mortos em Mocimboa da Praia

Dezenas de insurrectos foram mortos por uma força conjunta de Moçambique e do Ruanda no mês passado em Mbau, distrito de Mocímboa da Praia, província de Cabo Delgado, disse à imprensa o Presidente moçambicano Filipe Nyusi.

Sem entrar em pormenores, Nyusi acrescentou que a força de combate conjunta tinha detido várias peças de equipamento dos insurgentes durante a batalha.

Publicidade_Página Home_Banner_(1700px X 400px)

Anuncie aqui: clique já!

Os analistas contaram pelo menos 14 corpos de homens armados abatidos pelas forças conjuntas. Uma fonte local disse ter contado mais de 20 corpos e que outros estavam espalhados pela floresta. Havia também feridos e detidos, disse ele.

A batalha começou depois de um ataque surpresa dos insurrectos à aldeia de Mbau, por volta das 4 da manhã, disse uma fonte local ao Atlas News. Alguns residentes fugiram para a floresta em busca de segurança, enquanto outros permaneceram nas suas casas.

A força conjunta destacada em Mbau respondeu imediatamente ao ataque, enquanto aguardava reforços do quartel-general de Mocimboa da Praia, de acordo com uma fonte militar baseada em Pemba, a capital de Cabo Delgado. Os pormenores são escassos, mas houve muitas baixas e feridos do lado dos insurrectos, disse a fonte.

A força conjunta ainda não se pronunciou sobre o ataque.

Mbau já albergou o que foi considerado o quartel-general dos insurgentes, antes de ser desativado pelas forças ruandesas em 2021. Não é claro se os insurgentes pretendiam retomar a base ou não.

Antes do ataque, pelo menos três insurgentes foram vistos na segunda-feira numa aldeia chamada Nova Família, situada entre os distritos de Mocímboa da Praia e Nangade. Eles foram perseguidos e abatidos na terça-feira pela milícia veterana denominada Força Local.

Moçambique recebeu recentemente o reforço de 2.000 soldados ruandeses para se juntarem aos cerca de 2.500 que já se encontram em Cabo Delgado. Espera-se que o novo contingente preencha as lacunas deixadas pela Missão da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral em Moçambique (SAMIM).

Alguns dos reforços chegaram a Macomia, uma importante cidade atacada e saqueada pelos insurgentes a 10 de maio, no que foi interpretado como o resultado da saída de Samim da zona. Com a chegada das tropas ruandesas, espera-se uma maior segurança na cidade.

leave a reply