Moçambique/Malawi: Vice-Presidente morre em acidente de avião

O Vice-Presidente do Malawi, Saulos Chilima, morreu num acidente de avião, anunciou o Presidente deste país da África Austral na terça-feira, pouco depois de terem sido descobertos os destroços do avião, desaparecido no dia anterior.

« As equipas de busca e salvamento localizaram o avião, que estava completamente destruído e sem sobreviventes, tendo todos os passageiros a bordo morrido instantaneamente », anunciou o Presidente Lazarus Chakwera num discurso transmitido pela televisão, um dia depois de o avião ter desaparecido perto de Mzuzu, no nordeste do país.

« As palavras não podem expressar o quão chocante isto é », acrescentou, falando de uma « tragédia terrível ».

O avião militar, com dez pessoas a bordo, desapareceu dos radares na segunda-feira, depois de não ter conseguido aterrar devido à fraca visibilidade. Foram enviadas à AFP fotografias de destroços com a matrícula do avião, um bimotor Dornier 228-202K.

Eleito vice-presidente pela primeira vez em 2014, ao lado do antigo Presidente Peter Mutharika, Saulos Chilima, 51 anos, figura política carismática e de discurso duro, era muito popular no Malawi, sobretudo entre os jovens.

A caminho de um funeral, o seu avião, que tinha saído da capital Lilongwe depois das 9h00 da manhã de segunda-feira (3h00, hora de Leste), foi impedido de aterrar na cidade de Mzuzu devido ao mau tempo e obrigado a voltar para trás, antes de desaparecer dos radares, segundo a presidência malawiana.

O Sr. Chilima tinha embarcado no avião com outras nove pessoas a caminho de Mzuzu, 370 km a nordeste, para assistir ao funeral de um antigo membro do governo. Entre os passageiros encontrava-se a antiga Primeira Dama do Malawi, Shanil Dzimbiri (Muluzi).

Chilima foi suspenso do cargo em 2022, durante o seu segundo mandato, no âmbito de uma investigação sobre um vasto escândalo de contratos públicos envolvendo um empresário anglo-malawiano. Foi detido e processado por corrupção. As acusações contra ele foram retiradas pelos tribunais em maio, permitindo-lhe retomar as suas funções oficiais.

Publicidade_Página Home_Banner_(1700px X 400px)

Anuncie aqui: clique já!

« À chegada a Mzuzu, o piloto não conseguiu aterrar devido à fraca visibilidade causada pelo mau tempo, e as autoridades aeronáuticas aconselharam o avião a regressar a Lilongwe, mas as autoridades perderam rapidamente o contacto com a aeronave », disse o Presidente Chakwera na sua primeira mensagem televisiva à nação, na segunda-feira à noite.

O Chefe de Estado rejeitou as alegações dos media locais de que as operações de busca tinham sido interrompidas durante a noite. Embora devesse partir para uma visita de trabalho às Bahamas, cancelou a sua partida.

As buscas começaram na segunda-feira à noite, com soldados a procurar a pé e à luz de tochas na reserva florestal de Chikangawa, onde, de acordo com relatos não confirmados na imprensa local, algumas pessoas afirmaram ter visto um avião a despenhar-se.

As buscas prosseguiram na manhã de terça-feira, apesar do denso nevoeiro.

As equipas de salvamento concentraram as suas buscas numa área próxima da última antena de retransmissão onde o telefone do Vice-Presidente tinha sido ligado pela última vez, disse um porta-voz presidencial numa conferência de imprensa.

Vários países, incluindo vizinhos do Malawi, um dos países da África Austral mais pobres do mundo, forneceram assistência, incluindo drones e helicópteros, de acordo com o General Paul Valentino Phiri, o comandante do exército.

A embaixada dos EUA em Lilongwe também ofereceu assistência, incluindo a possibilidade de utilizar um avião militar C-12.

A União Africana, a União Europeia e os Estados Unidos enviaram mensagens de condolências.

« Os nossos pensamentos estão com os entes queridos daqueles que perderam a vida e com o povo do Malawi neste momento trágico », afirmou o Alto Comissariado Britânico em Lilongwe.

leave a reply