Saúde: a esperança de vida em África aumento para 10 anos desde 2000

Melhorar a esperança de vida saudável, novo impulso para combater o VIH em crianças, casos de peste bubónica na RDC…uma visão geral das notícias sobre saúde em África esta semana.

A esperança de vida está a aumentar rapidamente em África

A esperança de vida saudável (o número de anos que um indivíduo goza de boa saúde) na Região Africana aumentou numa média de dez anos entre 2000 e 2019. Segundo o relatório recentemente publicado “Monitoring Universal Health Coverage in the WHO African Region, 2022”.

Durante o período em análise, o número subiu de 46 anos em 2000 para 56 anos em 2019, marcando o maior aumento em comparação com outras regiões do mundo (a esperança de vida saudável global aumentou apenas cinco anos durante o mesmo período). No entanto, ainda está abaixo da média mundial de 64 anos.

Este progresso deve-se, em particular, a melhorias na prestação de serviços de saúde essenciais, avanços na saúde reprodutiva, materna, neonatal e infantil, e avanços no controlo de doenças infecciosas. Globalmente, a cobertura dos serviços essenciais de saúde melhorou para 46% em 2019, contra 24% em 2000.

Uma nova aliança global para combater o VIH nas crianças
A nível mundial, apenas 52% das crianças que vivem com VIH recebem tratamento que salva vidas, em comparação com 76% dos adultos. A ONUSIDA, a UNICEF e a OMS estão, por conseguinte, a lançar uma nova Aliança Global sobre as Crianças e o VIH/SIDA, com o objectivo de erradicar o vírus nesta população até 2030. O anúncio foi feito por várias figuras de destaque esta semana na Conferência Internacional sobre a SIDA em Montreal, Canadá.

Leia também: Moçambique: O Caso Suspeito De Varíola De Macaco Em Nampula Revela-Se Negativo

Congo Brazzaville: uma vasta campanha de vacinação contra a febre amarela
Na África Central, a República do Congo (Congo Brazzaville), lançou uma vasta campanha de vacinação preventiva em massa para vacinar mais de 93% da sua população contra a febre amarela. A campanha, que começa esta sexta-feira, 05 de Agosto de 2022, terá como alvo mais de 4 milhões de pessoas em 11 dos 12 departamentos do país, tal como relatado pela Global Alliance for Vaccines (Gavi). Para esta operação, mais de 13.800 profissionais de saúde serão mobilizados pelo governo congolês numa campanha de sete dias. A campanha é apoiada em particular por Gavi, UNICEF e OMS, seus parceiros.

Leia também: RDC: A ONU Confirma O Apoio Do Exército Ruandês Aos Rebeldes M23 No Leste Da RDC

RDC: mais de 500 casos de suspeita de peste notificados em quatro meses em Ituri

Na RDC, foram comunicados 537 casos suspeitos de peste na zona sanitária de Rethy, localizada no território de Djugu, província de Ituri, durante o período de quatro meses de 27 de Março de 2022 a 31 de Julho de 2022. A informação provém de uma nota dos funcionários do Centre de Surveillance et de Lutte contre la Peste (CSLP), que foi recolhida pela associação de vigilância epidemiológica ProMed. A área de saúde mais afectada é Lokpa com 43,2% dos casos. A forma bubónica (marcada por um gânglio linfático alargado, conhecido como bubo) permanece dominante, com 533 casos (99,2%) e 4 casos pulmonares, 3 dos quais só foram notificados em Julho de 2022. A maioria dos sujeitos foram infectados durante o sono, de acordo com as primeiras indicações. A idade média dos pacientes é de 17 anos. As mulheres são as mais afectadas, 54,6% contra 45,4% para os homens.

72ª sessão do Comité Regional Africano da OMS, em Lomé

A 72ª sessão do Comité Regional Africano da Organização Mundial de Saúde (OMS) realiza-se este mês, de 22 a 26 de Agosto. O encontro terá lugar em Lomé, a capital do Togo. Segundo a agenda provisória da OMS África, estas reuniões, num formato híbrido, serão estruturadas em torno de 5 pilares.Abordarão questões tais como a Estratégia Regional de Controlo das Principais Doenças Não Transmissíveis nos Cuidados de Saúde Primários, o Quadro para o Reforço da Implementação do Plano de Acção Global para a Saúde Mental, a Protecção Financeira dos Riscos para a Cobertura Universal da Saúde na Região Africana da OMS, um Quadro para o Controlo Integrado, Eliminação e Erradicação das Doenças Tropicais e Vectoriais na Região Africana 2022-2030, e o reforço da agência da ONU para um apoio mais eficaz e eficiente aos países africanos.

Leia também: Benin: Estátua Amazónica, « Finalmente, Temos A Nossa Estátua Simbólica ».

Intoxicação alimentar na Serra Leoa (83 casos, incluindo 1 morte)

Na Serra Leoa, 83 pessoas são suspeitas de terem sido vítimas de intoxicação alimentar, relata a OMS no seu boletim semanal sobre emergências de saúde na região africana. Isto foi depois de assistir a uma festa de formatura a 26 de Julho de 2022. Uma pessoa (uma menina de 14 meses) morreu da sua doença, enquanto cerca de 150 pessoas participaram no evento, que teve lugar na secção Nyandeyama da cidade de Kenema (a terceira maior cidade do país, localizada na província oriental, cerca de 300 km a leste de Freetown). As mulheres representaram a maioria dos casos (58), bem como as crianças com menos de 18 anos (57 casos). Em 28 de Julho de 2022, 32 pacientes tinham tido alta do hospital.

leave a reply