África do Sul/Moçambique: Ladrões armados assaltam autocarro Nelspruit-Maputo pouco antes da fronteira da África do Sul com Moçambique

Um autocarro que se dirigia a Maputo, foi atacado em território sul-africano por um grupo armado, ao início da noite de quinta-feira, a sete quilómetros da fronteira, disse no sábado à Lusa fonte da transportadora.

Foram roubadas várias mercadorias, nenhum dos passageiros sofreu ferimentos, mas entre adultos e crianças várias pessoas poderão ter ficado traumatizadas, disse a mesma fonte da Cheetah Express.

O autocarro vaivém tinha saído de Mbombela (também conhecida por Nelspruit), cidade cujos serviços e comércio muitos residentes moçambicanos utilizam, e viajava para Maputo quando se deu o incidente.

Às 18:45, depois do anoitecer, o autocarro estava a sete quilómetros da fronteira de Lebombo quando encontra uma fila de camiões junto a uma báscula de procedimentos aduaneiros, antes de atravessar para Komatiport e para o parque natural Kruger.

A fronteira é utilizada por minas de ferrocromo para exportação através do porto de Maputo e, em certos dias, juntam-se centenas de camiões, complicando a circulação dos restantes veículos.

No meio do engarrafamento, 14 assaltantes armados com catanas, paus, pedras e armas de fogo invadiram o autocarro, ameaçaram o motorista e os passageiros e roubaram jóias, passaportes, compras e bagagens, informou a empresa no Facebook e detalhou a fonte contactada pela Lusa

Peut être une image de guépard, voiture et texte

Foi a primeira vez que o Cheetah Express foi alvo de um ataque, mas já houve outros contra outros veículos e noutras zonas daquela área, na estrada do lado sul-africano da fronteira, acrescentou a mesma fonte, apelando à acção das forças de segurança. .

A transportadora anunciou um reforço das medidas preventivas, incluindo partidas mais cedo de Mbombela, com menos paragens, para atravessar a fronteira antes do anoitecer.

Os episódios de violência nas estradas sul-africanas que ligam Maputo a Joanesburgo e Pretória são recorrentes e têm motivações diferentes.

Na sexta-feira, a concessionária da N4 anunciou o encerramento temporário de um troço da estrada em Witbank, a 100 quilómetros de Pretória, devido aos protestos naquele país relacionados com o custo da energia.

“Por razões de precaução, a Trans African Concessions (TRAC) , em conjunto com as autoridades da África do Sul, decidiu encerrar a estrada” em risco, com “pessoas a atirar pedras e a incendiar veículos”, disse Fenias Mazive, director de manutenção da concessionária.

leave a reply