Moçambique: Manchas vermelhas levam à proibição de pesca nos lagos no norte do país

A pesca foi proibida em três lagos no norte de Moçambique após o surto de uma suspeita de doença fúngica (infecção causada por fungos do tipo Aspergillus fumigatus, que além de desencadear alergias, pode afetar os pulmões e as regiões de vias respiratórias, causando sinusites e otites), que afeta os peixes.

Contacto: +258 84 91 29 078 / +258 21 40 14 21 – comercial@feelcom.co.mz

Foi imposto depois que peixes nos lagos Chiúta, Chirua e Amaramba, que ficam na fronteira com o Malawi, foram encontrados com manchas vermelhas em seus corpos. Isso indica um surto de síndrome ulcerativa epizoótica, também conhecida como doença das manchas vermelhas.

Enquanto alguns dos peixes foram enviados para um laboratório da capital para confirmar isso, as autoridades do distrito de Mecanhelas têm procurado acalmar os receios.

“Embora o assunto esteja sob investigação, garantimos que a síndrome não afeta os humanos desde que o peixe seja bem cozido”, disse Armando Maulana, diretor de atividades econômicas do distrito.

O Ministério das Pescas alertou ainda que é aconselhável cozinhar adequadamente todos os peixes provenientes de zonas endémicas, com ou sem manchas vermelhas.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a doença tem o potencial de dizimar financeiramente aqueles que dependem da pesca para obter renda. As comunidades ao redor dos lagos, que são bastante grandes, dependem da pesca e a mudança provavelmente afetará muitos pescadores moçambicanos e malawianos.

A FAO diz que os peixes infectados não devem ser jogados de volta em águas abertas e devem ser descartados adequadamente, enterrando ou queimando.

leave a reply