Estados Unidos: os dois afro-americanos ilibados em 2021 do assassinato de Malcolm X receberão 36 milhões de dólares

FILE - This combination photo shows Muhammad Aziz, a suspect in the slaying of Malcolm X, after his arrest, in New York, on Feb. 26, 1965, left, and Aziz outside court after his conviction in the killing of Malcolm X was vacated on Nov. 18, 2021, in New York. The city of New York is settling lawsuits filed on behalf of Aziz and Khalil Islam, who were exonerated in 2021 for the 1965 assassination of Malcolm X, agreeing to pay $26 million for the wrongful convictions which led to both men spending decades behind bars, according to an attorney representing the two men, Sunday, Oct. 30, 2022. (AP Photo/File)

Muhammad Aziz, 84 anos, e Khalil Islam, que morreu em 2009, passaram 21 anos atrás das grades perante um tribunal que os considerou inocentes em 2021 e os indemnizou hoje.

Trinta e seis milhões de dólares cada é a soma que será paga aos dois afro-americanos apurados em 2021, após mais de vinte anos de prisão cada um, pelo assassinato em 1965 de Malcolm X, disse o seu advogado no domingo 30 de Outubro, confirmando um relatório do New York Times.

« A tragédia do assassinato de Malcolm X foi sentida em todo o mundo e agravada pelo facto de ter levado à condenação e prisão de dois jovens negros inocentes na América », disse o seu advogado David Shanies à Agence France-Presse (AFP), num e-mail. « Esta injustiça é agora reconhecida e foi dado um modesto passo para a corrigir », acrescentou o representante de Muhammad Aziz, 84 anos, e a família do Islão Khalil, que morreu em 2009.

O advogado confirmou que Nova Iorque pagará 26 milhões de dólares cada um aos dois homens e suas famílias. O Estado de Nova Iorque também lhes pagará 5 milhões de dólares cada, para um total de 36 milhões de dólares em compensação, de acordo com os números revelados pelo New York Times.

42 anos de prisão por dois

Em Novembro passado, o Supremo Tribunal do Estado de Nova Iorque ilibou legalmente Aziz e o Islão, qualificando a sua condenação há mais de meio século pelo assassinato do ícone dos direitos civis Malcolm X no Harlem, em 21 de Fevereiro de 1965, de « fracasso da justiça ».

Muhammad Aziz e Khalil Islam, que serviram 42 anos entre eles, sempre mantiveram a sua inocência.

O terceiro condenado Mujahid Abdul Halim – libertado em 2010 – admitiu na altura ter disparado contra Malcolm X e ilibou os seus dois co-arguidos, mas em vão até 2020 e a reabertura do processo pelos tribunais de Nova Iorque.

leave a reply