estinos turísticos mais perigosos do mundo (parte – I)

Nem só de praias paradisíacas, monumentos e museus vive o turismo.

Segundo escreve o portal Viagens, hoje em dia há quem viaje para assistir a um espectáculo, outros para a prática de desporto, e ainda os que optam pelo enoturismo, só para nomear alguns. Depois, há os que viajam em busca do perigo.

Isso mesmo, percebeu bem. Fazem quilómetros e sujeitam-se às condições mais adversas, só para desafiar o perigo e voltar para contar a história.

Estamos a falar de desertos, jardins venenosos, crateras em chamas ou cidades carregadas de radioactividade. Alguém se atreve? Talvez seja mais seguro ver nas imagens abaixo.

 (Os índices de estabilidade são do Global Peace Index 2018.)

Egipto

Slide 2 de 26: O lendário país das pirâmides entrou na dança das revoltas chamadas Primavera Árabe em 2011, depondo o ditador Hosni Mubarak. Dois anos depois, o presidente eleito Mohammed Morsi foi derrubado por um golpe militar. A situação política e de segurança pública imprevisível levou o governo do Canadá a recomendar aos cidadãos que evitassem viagens não fundamentais para o país. As exceções são a área do alto rio Nilo (onde ficam o Cairo e Alexandria) e os resorts no Mar Vermelho. As pirâmides de Giza e o antigo Templo de Luxor são paradas essenciais em qualquer viagem egípcia.

O lendário país das pirâmides entrou na dança das revoltas chamadas Primavera Árabe em 2011, depondo o ditador Hosni Mubarak. Dois anos depois, o presidente eleito Mohammed Morsi foi derrubado por um golpe militar. A situação política e de segurança pública imprevisível levou o governo do Canadá a recomendar aos cidadãos que evitassem viagens não fundamentais para o país. As excepções são a área do alto rio Nilo (onde ficam o Cairo e Alexandria) e os resorts no Mar Vermelho. As pirâmides de Giza e o antigo Templo de Luxor são paradas essenciais em qualquer viagem egípcia.

Palestina

Slide 3 de 26: A Lonely Planet descreve os territórios ocupados da Palestina como uma “parada improvável em qualquer programa pelo Oriente Médio”. O sempre iminente conflito entre Israel e os grupos armados, que exigem a criação de estados palestinos autônomos, desestabiliza a região há décadas, obrigando centenas de milhares de pessoas a saírem de suas casas. Os governos canadense e americano aconselham evitar qualquer viagem para Gaza e qualquer visita não essencial à Cisjordânia. Em 2016, mais de dois milhões de turistas foram aos territórios palestinos por sua conta e risco, muitos deles motivados a conhecer Belém, a cidade que foi local de nascimento de Jesus Cristo, segundo a Bíblia sagrada. As cidades de Jericó e Ramallah também atraem multidões. 

Lonely Planet descreve os territórios ocupados da Palestina como uma “parada improvável em qualquer programa pelo Oriente Médio”. O sempre iminente conflito entre Israel e os grupos armados, que exigem a criação de estados palestinos autónomos, desestabiliza a região há décadas, obrigando centenas de milhares de pessoas a saírem de suas casas. Os governos canadense e americano aconselham evitar qualquer viagem para Gaza e qualquer visita não essencial à Cisjordânia. Em 2016, mais de dois milhões de turistas foram aos territórios palestinos por sua conta e risco, muitos deles motivados a conhecer Belém, a cidade que foi local de nascimento de Jesus Cristo, segundo a Bíblia sagrada. As cidades de Jericó e Ramallah também atraem multidões.

México

Slide 4 de 26: Em 2016, o México foi o oitavo destino turístico mais popular do mundo, atraindo 35 milhões de visitantes. Estes turistas não tiveram falta do que fazer, desde explorar as praias a conhecer as pirâmides dos povos que habitavam o colorido país, de culinária rica e de artistas como Frida Kahlo e Diego Rivera. No entanto, os governos canadense e americano recomendam que os viajantes evitem o Norte e o Oeste do país, mantendo-se vigilantes nas outras cidades devido aos altos índices de pequenos delitos. As estatísticas de crimes relacionados às disputas dos grandes carteis de drogas têm aumentado, segundo o Global Affairs Canada, e enquanto turistas geralmente não são vítimas, podem acabar surpreendidos no lugar errado e na hora errada. 

Em 2016, o México foi o oitavo destino turístico mais popular do mundo, atraindo 35 milhões de visitantes. Estes turistas não tiveram falta do que fazer, desde explorar as praias a conhecer as pirâmides dos povos que habitavam o colorido país, de culinária rica e de artistas como Frida Kahlo e Diego Rivera. No entanto, os governos canadense e americano recomendam que os viajantes evitem o Norte e o Oeste do país, mantendo-se vigilantes nas outras cidades devido aos altos índices de pequenos delitos. As estatísticas de crimes relacionados às disputas dos grandes carteis de drogas têm aumentado, segundo o Global Affairs Canada, e enquanto turistas geralmente não são vítimas, podem acabar surpreendidos no lugar errado e na hora errada.

Etiópia

Slide 5 de 26: A Etiópia tem muito a oferecer aos visitantes —seja aquele que procura pelo melhor café do mundo, pelo turismo natural, pelas trilhas ou pelo encontro de muito perto com um dos primatas mais parecidos com o homem. Ver as igrejas construídas em pedra de Lalibela (foto) é uma experiência única. O governo canadense recomenda que os viajantes “tenham muito cuidado” na Etiópia devido, entre outras coisas, ao alto índice de crimes e vias mal conservadas. Um novo governo se instalou em abril de 2018 e tem realizado um esforço pela solução dos conflitos do poder público com os grupos rebeldes. Apesar disso, as tensões étnicas e polícias se mantém altas.

A Etiópia tem muito a oferecer aos visitantes —seja aquele que procura pelo melhor café do mundo, pelo turismo natural, pelas trilhas ou pelo encontro de muito perto com um dos primatas mais parecidos com o homem. Ver as igrejas construídas em pedra de Lalibela (foto) é uma experiência única. O governo canadense recomenda que os viajantes “tenham muito cuidado” na Etiópia devido, entre outras coisas, ao alto índice de crimes e vias mal conservadas. Um novo governo se instalou em Abril de 2018 e tem realizado um esforço pela solução dos conflitos do poder público com os grupos rebeldes. Apesar disso, as tensões étnicas e polícias se mantém altas.

Eritreia

Slide 6 de 26: Até recentemente, a Eritreia era conhecida como a mais isolada ditadura da África. Após uma demorada guerra com a Etiópia, hoje tem realizado um esforço para se reinventar como um destino de turismo e de investimentos. A arquitetura estranha, estilo art déco e legada pelo regime colonial italiano, torna uma caminhada pela capital, Asmara, uma experiência interessante. O governo canadense recomenda evitar todas as viagens para fora da capital, mas nela tem muitas atrações turísticas, segundo o Lonely Planet.

Até recentemente, a Eritreia era conhecida como a mais isolada ditadura da África. Após uma demorada guerra com a Etiópia, hoje tem realizado um esforço para se reinventar como um destino de turismo e de investimentos. A arquitectura estranha, estilo art déco e legada pelo regime colonial italiano, torna uma caminhada pela capital, Asmara, uma experiência interessante. O governo canadense recomenda evitar todas as viagens para fora da capital, mas nela tem muitas atracções turísticas, segundo o Lonely Planet.

Venezuela

Slide 7 de 26: O governo do Canadá recomenda que todos os cidadãos “evitem viagens não essenciais” à Venezuela devido ao “nível significativo de crimes violentos, da instabilidade política e econômica e declínio das condições básicas de vida, incluindo desabastecimento de remédios, itens alimentícios básicos e água”. O governo americano recomenda que seus cidadãos “reconsiderem as viagens”.  Com o baixo preço do petróleo em 2014, o país sul-americano ingressou em um ciclo de decadência econômica que o levou ao colapso. Segundo a revista online Matador Network, viajar à Venezuela requer planejamento, mas os turistas podem esperar preços baixos e belezas naturais como Cataratas Angel (foto), maior cachoeira do mundo.  

O governo do Canadá recomenda que todos os cidadãos “evitem viagens não essenciais” à Venezuela devido ao “nível significativo de crimes violentos, da instabilidade política e económica e declínio das condições básicas de vida, incluindo desabastecimento de remédios, itens alimentícios básicos e água”. O governo americano recomenda que seus cidadãos “reconsiderem as viagens”.  Com o baixo preço do petróleo em 2014, o país sul-americano ingressou em um ciclo de decadência económica que o levou ao colapso. Segundo a revista online Matador Network, viajar à Venezuela requer planejamento, mas os turistas podem esperar preços baixos e belezas naturais como Cataratas Angel (foto), maior cachoeira do mundo.

Mali

Slide 8 de 26: O Lonely Planet descreve este país do Oeste africano como “o coração e alma da África”, o lugar onde surgiu uma rica tradição musical conhecida como “blues do deserto”, incluindo nomes como Amadou and Mariam, Salif Keita e Tinariwen. O Festival in the Desert e o Festival sur le Niger  eram programas imperdíveis para mochileiros fãs de música—até que terroristas ligados à Al-Qaeda baniram a música no norte do país. Mali está reconstruindo sua democracia juntamente com mesquitas e mausoléus (foto)—mas, no momento, os governos americano e do Canadá recomendam evitar qualquer viagem ao país por causa das ameaças “terroristas e do banditismo”.  

O Lonely Planet descreve este país do Oeste africano como “o coração e alma da África”, o lugar onde surgiu uma rica tradição musical conhecida como “blues do deserto”, incluindo nomes como Amadou and Mariam, Salif Keita e Tinariwen. O Festival in the Desert e o Festival sur le Niger eram programas imperdíveis para mochileiros fãs de música—até que terroristas ligados à Al-Qaeda baniram a música no norte do país. Mali está reconstruindo sua democracia juntamente com mesquitas e mausoléus (foto)—mas, no momento, os governos americano e do Canadá recomendam evitar qualquer viagem ao país por causa das ameaças “terroristas e do banditismo”.

Israel

Slide 9 de 26: Israel é cercada por zonas de conflito, incluindo a Síria, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Segundo o governo canadense, suas áreas de fronteira com o Egito e o Líbano também oferecem riscos. O Canadá aconselha que os turistas “tenham muito cuidado” até mesmo em Jerusalém, onde os confrontos entre a polícia e manifestantes criam situações imprevisíveis de insegurança. No entanto, os riscos não parecem afastar os turistas—3,6 milhões de pessoas visitaram o país em 2017. Segundo o Lonely Planet, o Mar Morto e os muitos locais sagrados do país, incluindo o Monte do Templo (foto) são parte do apelo.

Israel é cercada por zonas de conflito, incluindo a Síria, a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Segundo o governo canadense, suas áreas de fronteira com o Egipto e o Líbano também oferecem riscos. O Canadá aconselha que os turistas “tenham muito cuidado” até mesmo em Jerusalém, onde os confrontos entre a polícia e manifestantes criam situações imprevisíveis de insegurança. No entanto, os riscos não parecem afastar os turistas—3,6 milhões de pessoas visitaram o país em 2017. Segundo o Lonely Planet, o Mar Morto e os muitos locais sagrados do país, incluindo o Monte do Templo (foto) são parte do apelo.

Líbano

Slide 10 de 26: O Líbano, mais especialmente sua capital (foto), foi teatro de uma brutal guerra civil entre 1975 e 1990. No entanto, segundo o diário londrino Daily Telegraph, Beirute “pouco a pouco recupera sua imagem histórica de Paris do Oriente Médio”, cheia de restaurantes, bares, cafeterias e praias mediterrâneas. O governo canadense adverte contra visitas aos subúrbios do sul de Beirute (presença de grupos armados), à parte setentrional do país e à fronteira com a Síria. O ministério das Relações Exteriores britânico adverte que “tiros de comemoração” são comuns em todo o país.  

O Líbano, mais especialmente sua capital (foto), foi teatro de uma brutal guerra civil entre 1975 e 1990. No entanto, segundo o diário londrino Daily Telegraph, Beirute “pouco a pouco recupera sua imagem histórica de Paris do Oriente Médio”, cheia de restaurantes, bares, cafeterias e praias mediterrâneas. O governo canadense adverte contra visitas aos subúrbios do sul de Beirute (presença de grupos armados), à parte setentrional do país e à fronteira com a Síria. O ministério das Relações Exteriores britânico adverte que “tiros de comemoração” são comuns em todo o país.

Nigéria

Slide 11 de 26: O Lonely Planet afirma que a Nigéria, mais populosa nação africana, é uma “usina pulsante”, com uma “explosiva cena de artes e música” e vida noturna efervescente em cidades como Lagos (foto). No entanto, a queda no preço do petróleo – em um país altamente dependente de sua produção e venda - levou à instabilidade econômica e a uma revolta liderada pelo Boko Haram que durou quase uma década, tornando a viagem ao país uma proposta arriscada. Os pequenos delitos são comuns, e o Canadá recomenda não viajar ao norte do país, onde o grupo terrorista islâmico Boko Haram está presente. Os EUA recomendam que os cidadãos “reconsiderem as viagens”. 

O Lonely Planet afirma que a Nigéria, mais populosa nação africana, é uma “usina pulsante”, com uma “explosiva cena de artes e música” e vida noturna efervescente em cidades como Lagos (foto). No entanto, a queda no preço do petróleo – em um país altamente dependente de sua produção e venda – levou à instabilidade econômica e a uma revolta liderada pelo Boko Haram que durou quase uma década, tornando a viagem ao país uma proposta arriscada. Os pequenos delitos são comuns, e o Canadá recomenda não viajar ao norte do país, onde o grupo terrorista islâmico Boko Haram está presente. Os EUA recomendam que os cidadãos “reconsiderem as viagens”.

Turquia

Slide 12 de 26: O Lonely Planet é poético ao falar da Turquia, prometendo aos viajantes “a melhor culinária que algum dia provarão” e descreve um generoso quadro da cidade de Istambul, mencionando o lendário Grand Bazaar, os palácios e sítios religiosos magníficos, incluindo Hagia Sofia (foto). Entretanto, instabilidade econômica, a ameaça terrorista e as consequências de um golpe militar em 2016 atingiram de maneira dura o turismo. Quem gosta de viajar e gastar pouco pode ver uma oportunidade ali, no entanto—o preço médio de uma diária de hotel caiu cerca de 30% desde 2015.

O Lonely Planet é poético ao falar da Turquia, prometendo aos viajantes “a melhor culinária que algum dia provarão” e descreve um generoso quadro da cidade de Istambul, mencionando o lendário Grand Bazaar, os palácios e sítios religiosos magníficos, incluindo Hagia Sofia (foto). Entretanto, instabilidade econômica, a ameaça terrorista e as consequências de um golpe militar em 2016 atingiram de maneira dura o turismo. Quem gosta de viajar e gastar pouco pode ver uma oportunidade ali, no entanto—o preço médio de uma diária de hotel caiu cerca de 30% desde 2015.

Coreia do Norte

Slide 13 de 26: A Forbes fala desta ditadura isolada como “o destino turístico mais improvável do mundo”. Cerca de quatro mil a cinco mil turistas ocidentais visitam todos os anos o país, integrando excursões guiadas estritamente controladas que visitam pontos como as enormes estátuas de bronze dos líderes Kim Jong-il e Kim Il-sung, junto a outros marcos da arquitetura realista—alguns até mesmo surfam! Entretanto, o governo canadense recomenda evitar o turismo no país e alerta todos os viajantes para o fato de que terão todas as suas comunicações monitoradas. Os EUA proibiram viagens para a Coreia do Norte desde que o americano Otto Warmbier foi preso como espião e torturado por roubar um cartaz em 2017. Muitos observadores do país dizem que o turismo é usado como instrumento de propaganda pelo regime de Kim.    

A Forbes fala desta ditadura isolada como “o destino turístico mais improvável do mundo”. Cerca de quatro mil a cinco mil turistas ocidentais visitam todos os anos o país, integrando excursões guiadas estritamente controladas que visitam pontos como as enormes estátuas de bronze dos líderes Kim Jong-il e Kim Il-sung, junto a outros marcos da arquitetura realista—alguns até mesmo surfam! Entretanto, o governo canadense recomenda evitar o turismo no país e alerta todos os viajantes para o fato de que terão todas as suas comunicações monitoradas. Os EUA proibiram viagens para a Coreia do Norte desde que o americano Otto Warmbier foi preso como espião e torturado por roubar um cartaz em 2017. Muitos observadores do país dizem que o turismo é usado como instrumento de propaganda pelo regime de Kim.

Continua…