Guerra Hamas-Israel: Ahed Tamimi, ativista palestiniana, detida pelo exército israelita por “incitamento ao terrorismo”

(FILES) Palestinian activist Ahed Tamimi waits to speak at a rally calling for justice for Palestinians amid a growing threat of further war in the Middle East, in central London on May 11, 2019. The Israeli army said on November 6, 2023, it had arrested the prominent 22-year-old Palestinian activist Ahed Tamimi during a raid in the occupied West Bank. "Ahed Tamimi was arrested on suspicion of inciting violence and terrorist activities in the town of Nabi Salih" near Ramallah, an army spokesman told AFP. "Tamimi was transferred to Israeli security forces for further questioning." (Photo by Daniel LEAL / AFP)

O ícone de 22 anos foi detido durante uma rusga na Cisjordânia ocupada, anunciaram as forças do Estado hebreu na segunda-feira, 6 de novembro, antes de ser “transferido para as forças de segurança israelitas para ser interrogado”.

O laço está a apertar-se à volta dos activistas palestinianos. Na segunda-feira, 6 de novembro, o exército israelita anunciou a detenção da jovem ativista Ahed Tamini, de 22 anos, ícone da causa palestiniana em todo o mundo. “Ahed Tamimi, suspeita de incitamento à violência e de actividades terroristas, foi detida na cidade de Nabi Saleh [na Cisjordânia ocupada]” antes de ser “transferida para as forças de segurança israelitas para ser interrogada”, declarou um porta-voz das FDI.

Segundo a mesma fonte, a detenção ocorreu durante uma operação do exército israelita destinada a “deter indivíduos suspeitos de envolvimento em actividades terroristas e de incitamento ao ódio” no norte da Cisjordânia ocupada.

Ahed Tamimi tornou-se um ícone quando tinha apenas 14 anos, depois de ter mordido um soldado israelita encapuzado. As imagens, que a mostravam a defender o irmão, que estava imobilizado no chão com o braço engessado, rapidamente deram a volta ao mundo, tornando-a uma figura da resistência palestiniana à ocupação.

Prisão e depois libertação

Tendo-se tornado o pior pesadelo de Israel, a jovem adolescente foi presa e detida alguns anos mais tarde, em 2017, com 16 anos e alguns dias depois de um vídeo se ter tornado viral na Internet. As imagens mostravam-na a esbofetear dois soldados israelitas encostados a um muro baixo no pátio da casa da sua família em Nabi Saleh. Juntamente com a sua prima, Nour Tamini, as duas jovens pediram-lhes que se retirassem antes de lhes darem pontapés, socos e bofetadas. Condenada a oito meses de prisão, a ativista foi libertada em julho de 2018.

Nascida no seio de uma família conhecida pela sua luta contra a ocupação israelita, Ahed Tamini tornou-se rapidamente um ícone mundial da causa palestiniana. Um retrato gigante dela foi pintado no muro de separação israelita na Cisjordânia ocupada, no sector de Belém. Enquanto os palestinianos a vêem como um exemplo de coragem face aos abusos israelitas nos territórios ocupados, muitos israelitas vêem-na como um exemplo de como os palestinianos encorajam os seus filhos a odiar.

leave a reply