Europa/Atentados em Paris: factos essenciais sobre o ataque com faca

Este sábado, segundo uma fonte policial, um terrorista armado com uma faca matou um turista alemão e feriu outros dois no 15º arrondissement de Paris, tendo alegadamente gritado “Allah Akbar” antes de ser detido. A Procuradoria Antiterrorista (Pnat) tomou a seu cargo a investigação deste atentado perpetrado por um francês, conhecido pelo seu islamismo radical e problemas psiquiátricos.

O terrorista com problemas psiquiátricos que causou estragos perto da Torre Eiffel, em Paris, no sábado à noite, está sob custódia da polícia e deve agora explicar-se aos investigadores, depois de ter matado um jovem turista germano-filipino e ferido outros dois num ataque com uma faca e um martelo. O procurador antiterrorista Jean-François Ricard deu uma conferência de imprensa às 19h30 de domingo, anunciou a Procuradoria Nacional Antiterrorista (Pnat), responsável pela investigação.

Além disso, uma reunião de segurança será realizada à tarde em Matignon com Elisabeth Borne, a pedido de Emmanuel Macron, na presença dos ministros do Interior Gérald Darmanin, da Justiça Eric Dupond-Moretti e da Saúde Aurélien Rousseau, entre outros. Os acontecimentos tiveram lugar por volta das 21h00 de sábado nesta zona muito turística da capital, perto da ponte Bir Hakeim que atravessa o Sena.

A mãe do terrorista manifestou a sua preocupação no final de outubro

A mãe do islamista radical que matou um jovem turista franco-filipino e feriu duas outras pessoas perto da Torre Eiffel, em Paris, no sábado à noite, mostrou-se preocupada com o comportamento do filho no final de outubro, informou o procurador antiterrorista no domingo.

A mãe do agressor, um franco-iraniano de 26 anos, disse às autoridades que estava preocupada com o seu filho, que estava a “fechar-se em si próprio”, declarou Jean-François Ricard numa conferência de imprensa. Armand Rajabpour-Miyandoab foi registado como radical islâmico (FSPRT) depois de ter sido condenado a cinco anos de prisão por conspiração criminosa para preparar um ato de terrorismo, na sequência de um plano de ação violenta em 2016 no bairro comercial La Défense, no oeste de Paris.

O terrorista jurou fidelidade ao grupo Estado Islâmico

O islamista radical que matou um jovem turista germano-filipino e feriu outras duas pessoas perto da Torre Eiffel, em Paris, no sábado à noite, jurou fidelidade ao grupo Estado Islâmico (EI) num vídeo antes de realizar o seu ataque, disse o procurador antiterrorista no domingo.

Falando em árabe no vídeo, Armand Rajabpour-Miyandoab, um franco-iraniano de 26 anos, deu “o seu apoio aos jihadistas que operam em diferentes áreas”, disse Jean-François Ricard numa conferência de imprensa. “Este vídeo foi publicado na sua conta X (antigo Twitter)”, aberta no início de outubro e que continha “numerosas publicações sobre o Hamas, Gaza e a Palestina em geral”, segundo o magistrado.

Olaf Scholz “chocado” com a morte de cidadão alemão

O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse no domingo estar “chocado” com o ataque à faca perto da Torre Eiffel, em que um turista germano-filipino foi morto por um francês conhecido pelo seu islamismo radical e problemas psiquiátricos. “Estou chocado com o ataque terrorista em Paris que matou um alemão e feriu várias pessoas”, escreveu Olaf Scholz na rede social X. “Os nossos pensamentos estão com os feridos, as famílias e os amigos das vítimas. Isto mostra mais uma vez porque é que devemos lutar contra o ódio e o terror”, acrescentou.

Três membros do séquito do terrorista detidos

Três “membros do séquito do agressor” estão atualmente sob custódia policial, informou no domingo a Procuradoria Nacional Antiterrorista. Trata-se de membros da sua família e de um dos seus amigos mais próximos, segundo uma fonte próxima do caso. Contactada, a Pnat não confirmou que estas pessoas fossem membros da família do agressor.

O agressor, um homem com opiniões radicais islâmicas e conhecido por ter problemas psiquiátricos, está sob custódia da polícia desde a sua detenção no sábado à noite no âmbito desta investigação, que foi aberta por homicídio relacionado com um plano terrorista. O agressor também atacou duas outras pessoas, um britânico de 66 anos e um francês de 60 anos, com um martelo.

leave a reply